segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

O próximo ano


Que no próximo ano sejamos capazes de dar valor ao que realmente importa...


Hoje eu gostaria de compartilhar um trecho de um livro:

Marley e eu
"O que eu realmente queria contar era como este animal tocara nossas almas e nos ensinara algumas das lições mais importantes de nossas vidas. 
“Uma pessoa pode aprender muito com um cão, mesmo com um cão maluco como o nosso”, escrevi. 
“Marley me ensinou a viver cada dia com alegria e exuberância desenfreadas, aproveitar cada momento e seguir o que diz o coração. 
Ele me ensinou a apreciar coisas simples — um passeio pelo bosque, uma neve recém-caída, uma soneca sob o sol de inverno. 
E enquanto envelhecia e adoecia, ensinou-me a manter o otimismo diante da adversidade. 
Principalmente, ele me ensinou sobre a amizade e o altruísmo e, acima de tudo, sobre lealdade incondicional”.
Era um conceito interessante que só então, após a morte dele, eu compreendia inteiramente. Marley como mentor. Como professor e exemplo. 

Seria possível para um cachorro — qualquer cachorro, mas principalmente um absolutamente incontrolável e maluco como o nosso — pudesse mostrar aos seres humanos o que realmente importava na vida? Eu acreditava que sim. 
Lealdade. Coragem. Devoção. Simplicidade. Alegria. 

E também as coisas que não tinham importância. 
Um cão não precisa de carros modernos, palacetes ou roupas de grife. Símbolos de status não significam nada para ele. 
Um pedaço de madeira encontrado na praia serve. 
Um cão não julga os outros por sua cor, credo ou classe , mas por quem são por dentro. 
Um cão não se importa se você é rico ou pobre, educado ou analfabeto, inteligente ou burro. Se você lhe der seu coração, ele lhe dará o dele. 
É realmente muito simples, mas, mesmo assim, nós humanos, tão mais sábios e sofisticados, sempre tivemos problemas para descobrir o que realmente importa ou não. 
Enquanto eu escrevia a coluna de despedida para Marley, descobri que tudo estava bem à nossa frente, se apenas pudéssemos ver. Às vezes, era preciso um cachorro com mau hálito, péssimos modos e intenções puras para nos ajudar a ver."

(Do livro Marley & Eu)

Nota: Não sei quem é o autor dessa imagem. Se você souber, por gentileza, me avise para eu colocar os devidos créditos no post.
Desde já agradeço!


terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Natal



(Video: Merry Christmas Dog)

Seria tão bom se o Natal voltasse a ser simples como antes, como o desse vídeo. Sem excessos, sem barulheira, com respeito. 

As famílias reunidas em uma ceia sem tantos exageros gastronômicos.
Uma época em que a falsidade, o consumismo e a "bobice" quase generalizada não tinham espaço de forma tão intensa e aparente como hoje. 


Uma época em que os fogos de artifício eram realmente bonitos pois era um aqui e outro ali, algo bonito de se ver e não esse exagero que temos que suportar atualmente. 

O que era para ser uma festa bonita e agradável à todos, se torna uma tortura para todos os animais que vivem nas cidades e também para as pessoas que não gostam dessa barulheira toda. Muitos cães inclusive, acabam escapando ou se machucando na tentativa de fugir, tão desesperados ficam com essa barulho exageradamente insano.

As músicas são um triste capítulo à parte, pois aqui também há muito exagero, cada um quer colocar o som mais alto que o outro... Sem contar a qualidade, que quase não existe mais.
E muitas vezes essa barulheira vai até o sol raiar, sem respeito algum aos que querem dormir ou aos que trabalham no dia seguinte e por isso precisam descansar.

O que era para ser uma bonita comemoração se tornou motivo de bebedeira, estresse e discussões.

E quem não quer participar, de forma indireta é obrigado a participar também, pois quem é que consegue dormir com essa barulheira toda?






 

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

As coisas importantes da vida


Vivemos em um mundo muito materialista e consumista. Por isso, hoje eu gostaria de compartilhar uma reflexão sobre o que é realmente importante na vida.
Muitas pessoas somente dão valor aos itens citados no texto quando já é tarde demais. Por isso, precisamos HOJE dar atenção ao que realmente importa.

Life Balance


"Um professor de Ciências queria demonstrar um conceito aos seus alunos. Ele pegou um vaso de boca larga e colocou algumas pedras dentro. Então perguntou à classe:
- Está cheio?

Unanimemente, os alunos responderam:
- Sim!

O professor então pegou um balde de pedregulhos e virou dentro do vaso. Os pequenos pedregulhos se alojaram nos espaços entre as rochas grandes. Então perguntou aos alunos:
- E agora, está cheio?

Desta vez alguns estavam hesitantes, mas a maioria respondeu:
- Sim!

O professor então levantou uma lata de areia e começou a derramar areia dentro do vaso. A areia então preencheu os espaços entre os pedregulhos. Pela terceira vez o professor perguntou:
- Então, está cheio?

Agora a maioria dos alunos estava receosa, mas novamente muitos responderam:
- Sim!

O professor então mandou buscar um balde de água e jogou-a dentro do vaso. A água saturou a areia, e desapareceu no meio dela. Neste ponto, o professor perguntou para a classe:
- Qual o objetivo desta demonstração?

Um jovem e brilhante aluno levantou a mão e respondeu:
- Não importa quanto a "agenda" da vida de alguém esteja cheia, ele sempre conseguirá "espremer" dentro mais coisas!

- Não, respondeu o professor. O ponto é o seguinte: A menos que você coloque as pedras grandes em primeiro lugar dentro do vaso, nunca mais as conseguirá colocar lá dentro. As pedras grandes são as coisas importantes de sua vida: seu relacionamento com Deus, sua família, seus amigos, seu crescimento pessoal e profissional. Se você preencher sua vida somente com coisas pequenas, como demonstrei com os pedregulhos, com a areia e a água, as coisas realmente importantes nunca terão tempo, nem espaço em suas vidas."


Fonte da reflexão: http://distritosuldailha3.blogspot.com.br/2012/04/as-coisas-importantes-da-vida.html 
Créditos da imagem: Stuart Miles - Free Digital Photos


terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Quando excluímos a presença de Deus


Bíblia
Uma pequena grande reflexão:

Quando excluímos a presença de Deus de qualquer aspecto da experiência humana, experimentamos grandes transtornos. 
A maior revolução acontece com Deus.

(Darleide Alves)



Créditos da imagem: pazham - Free Digital Photos

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Água não é um direito humano básico. Ou é?






Se o botão de "ativar legendas" não aparecer, assista por aqui:
Presidente da Nestlé: "Água Não É Um Direito Humano Básico."


Água

Não tenho muitos comentários a fazer, mas para mim algumas frases do vídeo merecem destaque:

"Nunca tivemos tantas coisas boas, nunca tivemos tanto dinheiro, nunca fomos tão saudáveis, nunca vivemos tanto quanto vivemos hoje."
Nunca fomos tão saudáveis ou nunca fomos tão doentes?
Realmente existe muito dinheiro, mas ele está concentrado nas mãos de poucos.

"Temos tudo o que queremos e ainda andamos por aí como se estivéssemos nos lamentando por alguma coisa."
Será que tudo isso não tem relação com o consumismo excessivo e com a falta de valores morais que vem causando um desequilíbrio generalizado e que resulta nessa insatisfação inconsciente?


O que você acha?
 


Créditos da imagem: Idea go - Free Digital Photos