terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Felicidade


Felicidade....
Sempre tão procurada, mas na maioria das vezes, nos lugares errados. Consumo, mídia, marketing, consumo, status, consumo...

Estamos ou não em uma corrida de ratos?

Valeu muito a pena ver a nova animação de Steve Cutts. Apesar de curta (4:17), é muito profunda e reflete bem a sociedade em que vivemos.



terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Valorize o simples


Vivemos em uma época na qual o ter tem se tornado cada vez mais importante do que o ser.

Obviamente precisamos de várias coisas para viver de forma integrada à sociedade, mas será que não rompemos a barreira do necessário e até do supérfluo chegando ao exagero?

Sociedade de consumo... o próprio nome já diz.
Mas será que é isso mesmo que almejamos para nossa vida?
Será que tanto consumo faz alguma diferença significativa e positiva para cada um de nós?

Você já reparou que cada conquista rapidamente perde o brilho? Nosso interesse aos poucos se esvai, pois ávidos por novidades, já estamos "namorando" outras coisas para comprar, consumir e em breve abandonar, formando dessa forma um círculo vicioso de desejo, conquista, satisfação veloz, frustração e insatisfação, voltando a um novo desejo e seguindo o mesmo percurso de modo automático e perene.

Quase não temos mais tempo nem interesse em curtir, aproveitar e sentir satisfação real com o que já conquistamos (ou compramos). Muitas vezes isso ocorre por nossos próprios hábitos de consumo ou por infinitas atualizações de produtos, novidades e novas "necessidades" disponíveis a cada dia.

Será que isso nos torna mais felizes e satisfeitos com nossa vida interior e exterior?

Nessa época do ano na qual o apelo ao consumo aumenta intensamente, será que não é um bom momento para efetuarmos uma análise crítica da situação?
Será que não é um momento propício para valorizarmos o que já possuímos sem rendermo-nos aos apelos do consumo?

Eu acredito que essa é a época do ano mais apropriada para começarmos a valorizar mais o ser e menos o ter. Talvez essa ênfase invertida seja um dos motivos da degradação social, moral, política e ética reinante no país.

Cada coisa tem seu valor, seu momento, seu objetivo. Precisamos de sabedoria para aprender a lidar com esses 3 fatores de forma satisfatória.


Valorize o simples.
Valorize as pessoas pelo que elas são de fato e não pelo que possuem.
Valorize os momentos agradáveis.
Valorize as companhias agradáveis.
Valorize a natureza, que possui tanta beleza, simplicidade e complexidade ao mesmo tempo.
Valorize um abraço, um sorriso sincero.
Valorize cada gole de um copo de água em uma tarde quente de verão.
Valorize a organização e a disciplina.
Valorize o silêncio e a tranquilidade.
Valorize o sono reparador.
Valorize a saúde.
Valorize a paz.

Hoje, decida valorizar o simples.
Hoje, decida valorizar a vida.


Pessoas-admirando-o-por-do-sol-na-praia


Encerro esse post com uma frase da qual gosto muito:
"Aprecie as pequenas coisas, pois um dia você pode olhar para trás e perceber que elas eram grandes coisas."
Robert Brault



Créditos da imagemIdea go  - Free Digital Photos


terça-feira, 28 de novembro de 2017

Black Friday - minha primeira compra nesse dia


O Black Friday ocorreu pela primeira vez no Brasil em 2011 e a cada ano o volume de vendas tem aumentado.

Apesar do forte apelo comercial em torno da data, nunca aproveitei nenhuma promoção, pois não estava realmente precisando de algo na época. E sei que se ficasse visitando os sites, provavelmente iria encontrar alguma "necessidade desnecessária" para comprar. Além disso, vários posts dos anos anteriores mostrando que no Brasil predomina a "Black Fraude" me fizeram desconfiar ainda mais dessa data.

Mas dessa vez foi diferente: eu queria comprar uma nova câmera fotográfica, pois a minha começou a apresentar problemas no ano passado e agora as fotos saem totalmente brancas ou com listras, mesmo alterando as configurações. Para videos ainda funciona, mas eu queria a câmera funcionando integralmente. A que tenho é uma Samsung S860, comprada em 2008, que supriu muito bem minhas necessidades durante esse tempo. Nunca precisei trocar sequer o cartão de memória, comprado no mesmo dia. As pilhas recarregáveis foram trocadas apenas 1 vez durante esses 9 anos.

Para você ter uma ideia, coloquei abaixo duas fotos.

Flores-brancas-com-lilás
Abril/2016

Flor-do-pé-de-feijao
Dezembro/2016. Repare como ficou com as listras...

Acho que o "tempo de validade" dessa câmera está mesmo chegando ao fim, não é? Talvez entrando na obsolescência programada.

Comecei minha pesquisa para a compra de uma nova câmera em maio, decidi qual comprar em agosto, mas o preço estava alto - aproximadamente R$ 1.100,00, com preço mínimo de R$ 990,00.

Quase comprei no mês passado por R$ 899,00, pois durante esse tempo todo não houve alterações relevantes de preço. Mas para quem esperou tanto tempo, 1 mês a mais não iria fazer diferença, até porque a compra não era urgente e compras impulsivas não fazem parte dos meus valores, além de que atrapalhariam o alcance dos meus principais objetivos. Apesar de já ter feito tais compras muitas vezes, isso é algo que consigo dominar relativamente bem, a despeito dos incessantes apelos do marketing.

Há 2 semanas comecei a acompanhar com mais atenção se haveriam alterações de preço no Google Shopping.

Pesquisa-de-precos

Pesquisa-de-precos



















Pesquisa-de-precos


















Pesquisa-de-precos
Como houve uma alteração de preço no dia 23, estava esperando que no dia 24 (Black Friday) houvesse uma maior. Mas não foi o que ocorreu, conforme dá para ver abaixo.

Pesquisa-de-precos

Não foi um super desconto, mas comprei mesmo assim, pois o preço dela ainda é alto no mercado brasileiro. Esse preço era para pagamento à vista, por boleto ou cartão. De qualquer forma, valeu a pena não ter comprado antes.

O que me deixou indignada foi a alta tributação. R$304,54 ou seja, 39,85%! Achei desproporcional, assim como a maioria dos impostos deste país.


E você, também conseguiu fazer uma boa compra no Black Friday 2017?
Ou achou os preços decepcionantes, mais parecidos com a Black Fraude?


sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Quem eu queria ser para mim


Ah como eu queria,
Queria ser para mim, 
uma pessoa diferente.
Ser alguém que irradiasse energia, alegria e boa vontade.

Ser aquela força sempre presente e disponível para abraçar o desafio, para levantar o meu mau-humor e suportar a grandiosidade dos meus sonhos. 

Ser aquele que perante o sucesso, fosse capaz de manter a humildade e desse a mão a quem mais precisa.

Ser aquele que na tristeza não se deixasse consumir por ela, e entendesse que sentir tristeza não faz de mim uma pessoa triste.

Queria mesmo muito, num estalar de dedos, que a minha mente me obedecesse e o meu corpo reagisse prontamente ao meu comando.

Entender que, mesmo com memórias cortantes e penosas, eu sou mais que o meu passado e arregaçar as mangas para cozinhar o meu presente e servi-lo com sabor a esperança.

Ah, como é bom desejar!
Ah como é melhor ainda ficar ciente que tudo o que desejo depende de mim, que tudo depende de passar do queria, para o quero, e do quero para o faço, e do faço para o consegui, e do consegui para: sou o que quero quando me proponho a isso.


Por-do-sol-e-mulher-com-os-bracos-abertos


Autor do poema: Miguel Lucas
Créditos da imagemTanatat Free Digital Photos

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Desacelerar


Vivemos na sociedade da pressa. Parece até que estamos viciados em velocidade e em estímulos sensoriais – sempre cada vez mais intensos.

Quando foi a última vez que você viveu o momento presente de forma plena, sentindo o pulsar da vida em cada célula do seu ser? 
Para mim, a maior parte desses momentos está relacionado à natureza: colher frutas, plantar uma semente ou uma pequena muda que em breve se transformará em uma árvore, ver a chuva cair, brincar com meus cães, admirar a imensidão do espaço, das auroras e crepúsculos...

Mulher-de-bracos-abertos-ao-por-do-sol

Coisas simples, mas que fazem um bem enorme, que recarregam as energias e auxiliam na manutenção do controle necessário para vivermos ao menos minimamente equilibrados em sociedades tão desequilibradas.

Silenciosa e implacavelmente o tempo está passando.
A vida está passando. Uma vida finita – hoje estamos aqui, mas em um futuro não tão distante, não estaremos mais.

Minutos, horas, décadas – a velocidade com que o tempo passa chega a ser assustadora! Não faz tanto tempo éramos adolescentes. Daqui a pouco seremos idosos – isso se a nossa última expiração não chegar antes.

Apesar de termos consciência de todas essas coisas, parece que vivemos a maior parte do tempo como se estivéssemos elaborando um rascunho de nossa própria vida. O problema é que não teremos tempo hábil para passá-lo a limpo...

Por isso, hoje eu gostaria de deixar um poema para reflexão, que li no blog Viagem Lenta e também no livro "Trabalhe 4 horas por semana", de Timothy Ferriss (resenha em breve).

Vale a pena ler várias vezes.
Ler vagarosamente, pois como diz o poema, “a vida não é uma corrida. Vá devagar.” 


Precisamos viver.
Precisamos desacelerar.
Antes que seja tarde demais.



Familia-na-praia-com-dois-caes


Dança lenta
David L. Weatherhead

Alguma vez você já viu crianças brincando de roda? 
Ou ouviu o som da chuva batendo no chão? 

Já seguiu o vôo errático de uma borboleta? 
Ou olhou para o sol dando lugar à noite? 

É melhor desacelerar; não dance tão rápido. 
O tempo é curto e a música acaba. 


Você passa batido por cada dia?
Quando você pergunta: como vai você?, ouve a resposta? 

Quando acaba o dia, você se deita em sua cama
Com a próxima centena de tarefas percorrendo sua cabeça?

É melhor desacelerar; não dance tão rápido. 
O tempo é curto e a música acaba.


Alguma vez disse a seu filho, pode ser amanhã? 
E, na sua pressa, percebeu a tristeza em seu rosto? 

Já perdeu contato e deixou morrer um amigo 
Porque nunca teve tempo de ligar e dizer "oi"? 

É melhor desacelerar; não dance tão rápido. 
O tempo é curto e a música acaba. 


Quando você corre para chegar a algum lugar 
Perde metade da graça em chegar lá. 

Quando se preocupa e atropela seu dia 
É como um presente que vai pro lixo sem ser aberto. 

A vida não é uma corrida. Vá devagar. 
Ouça a música antes que ela acabe.



Fonte do poema: Viagem Lenta
Créditos das imagens: worradmu e Tanatat Free Digital Photos


terça-feira, 14 de novembro de 2017

Superação


Você já ouviu falar em Geraldo Rufino? Se não, acho que vai gostar dessa entrevista, que está dividida em 3 partes.

A leveza com que ele fala de sua experiência e seu modo de encarar a vida são motivadores e encantadores.

Desde a infância, mesmo passando por situações extremamente difíceis para essa idade, já possuía otimismo e motivação singulares. Perdeu sua mãe muito cedo na vida e mesmo antes desse triste acontecimento, já trabalhava como catador em um aterro sanitário para ajudar no sustento da família.

Hoje, é dono de uma bem-sucedida empresa de reciclagem, comandada atualmente por seus filhos.

Gostaria de destacar a simplicidade e a descontração com que fala de seu passado. Sem mágoas ou rancores, é um grande exemplo para todos nós.


Placas-indicando-a-direcao-para-sucesso-problema-e-derrota

No início da adolescência passou por uma situação de racismo onde trabalhava, época na qual ele mal sabia o que isso significava. Mas sabia que, independentemente da cor da pele, somos todos iguais. E o que seria uma situação desagradável e constrangedora para muitos, Geraldo Rufino conseguiu reverter, conquistando a confiança dos patrões e deixando surpresos muitos dos empregados com mais tempo de casa.

Sem dúvida, Geraldo Rufino é um grande exemplo de superação, otimismo, humildade, perseverança e motivação.

Espero que vocês gostem do vídeo.

Parte 1


Parte 2


Parte 3


Até a próxima!


Créditos da imagemscottchan Free Digital Photos

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Perdoe seus pais


Perdoar quase sempre é difícil, mas é necessário se quisermos ter paz de espírito e tranquilidade.

Perdoar não é esquecer.
Perdoar é não deixar que os acontecimentos do passado nos afetem de forma negativa, que nos machuquem. Muitas vezes isso ocorre por anos ou décadas.

O video abaixo fala especificamente sobre o perdão que precisamos dar aos nossos pais.
Muitas pessoas têm significativa mágoa de seus pais por algum - ou vários - motivos. Eu sei bem o que é isso, sei o quão desconfortável e desagradável é. E apesar de ainda estar no início desse processo, cheguei a conclusão de que não vale a pena não perdoar. Não mesmo.

Perdoar não é tão fácil, mas não é impossível.




terça-feira, 31 de outubro de 2017

Você é o resultado das pessoas com as quais mais convive


O título desse post refere-se a uma teoria (clique aqui para saber mais sobre o assunto).

O contato com essas pessoas não precisa ser necessariamente pessoal. Pode ser um escritor, um músico, um cientista, um palestrante, um blogger, um vlogger, um pregador, etc. Precisa ser alguém que faça parte de sua vida durante algum tempo e que te inspire a fazer mudanças simples ou complexas, boas ou ruins.

É preciso ter muita cautela e perceber quem são essas pessoas em sua vida hoje. Elas estão te inspirando ao desenvolvimento pessoal, ao contentamento, ao bem-estar, à motivação? Ou te inspiram à idolatria, à ostentação, ao consumismo, à ambição, à corrupção, proporcionando sentimentos confusos e conflitantes com seus valores?


Multidão

As influências na maioria das vezes são tão sutis, chegando muito perto do imperceptível. Então, quando você percebe, está pensando e agindo de forma bem parecida a das pessoas que te influenciam ou inspiram. Por isso é muito importante a aproximação com pessoas inspiradoras, com valores e ideais semelhantes aos seus. Pessoas que te impulsionem à ação, que te façam querer ser a sua melhor versão, que te inspirem para o bem e jamais para o mal.

Provavelmente você não encontrará a maioria dessas pessoas em seu círculo de convivência, por isso a importância de opções externas. Além de literatura e música, na internet há muitos sites, blogs e vídeos de pessoas realmente inspiradoras, que mesmo distantes fisicamente poderão te ajudar a trilhar o caminho do conhecimento e do desenvolvimento pessoal de forma mais consistente e coerente através de sua influência positiva. Como exemplo, veja ao lado o meu blogroll.

Em momentos difíceis e conturbados na vida, também é muito importante que você se deixe influenciar por essas pessoas inspiradoras, pois além do alívio e mais clareza mental, essa fase poderá ser atravessada sem que o foco principal seja o sofrimento, mas também o aprendizado, o crescimento e a sabedoria.

Por ser a média das pessoas com as quais mais convive, sugiro que você se atente a isso, de forma a utilizar essa teoria a seu favor.

Para finalizar, gostaria de deixar uma pergunta para reflexão: o quanto você tem sido uma influência positiva (ou negativa) para as pessoas que convivem com você?


Créditos da imagem: Vlado Free Digital Photos

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Mindfulness


Parece que passamos a maior parte do nosso tempo no passado ou no futuro, mas raramente vivemos de forma 100% consciente o momento presente, que é o único que possuímos de verdade.


Quatro-ampulhetas-significando-a-passagem-do-tempo

Talvez por receio de que preocupações, sentimentos ou pensamentos desagradáveis venham à tona, vivemos intercalando entre passado e futuro de maneira automática e até imperceptível.

Para piorar a situação, a pressão e a correira cada vez mais intensas resultam muitas vezes em desmotivação, tristeza, falta de perspectiva, doenças psicossomáticas, ansiedade - fatores que nos distanciam ainda mais do momento presente.

Outras vezes utilizamos o ato de pensar de forma indiscriminada e acelerada para que não haja espaço para o autoconhecimento genuíno, pois muitas vezes o início da consciência de quem somos é algo assustador, desconfortável, desagradável e incômodo. Considerando ainda que nessa busca precisaremos travar contato com nossos temores, angústias, fracassos e como nossos diversos pontos fracos, a presença no "agora" torna-se ainda mais desinteressante.

Por outro lado, nossa ausência no momento presente parece diminuir nossa energia vital e dá a impressão de estarmos criando um desbotado rascunho cinza de nossa própria vida. A questão é que não teremos tempo, tampouco saúde e energia necessários para passar tal esboço a limpo.

Se seguirmos por esse caminho, nossa própria ausência poderá nos custar muito caro.

Por isso, hoje eu gostaria de desafiar você a estar presente de forma plena, com espírito, mente e corpo focados, concentrados e atentos no agora. Nem que seja por apenas alguns minutos, começando com 1 minuto de atenção plena e aumentando gradativamente até 10 minutos por vez, 3 ou 4 vezes por dia.

Primeiramente foque em sua respiração. Logo e inevitavelmente os pensamentos virão, mas ignore-os. Foram anos e anos com esse condicionamento cerebral, por isso, nada mais normal do que pensamentos ininterruptos rondando uma mente em busca de silêncio.

Esse é um breve resumo do mindfulness, técnica que proporciona a redução do estresse, aumenta a clareza mental, melhora a saúde e pode também ser de grande auxílio em doenças e sintomas decorrentes principalmente do estresse excessivo da vida moderna, como hipertensão arterial e taquicardia.

 Clique aqui para ver um vídeo do Dr. Martin Portner sobre essa técnica.

Atualizado em 17/11/2017: veja também esse post do Leo Babauta com algumas dicas sobre o mindfulness (em inglês).

Para finalizar, recomendo que você pesquise mais sobre o assunto, pois a prática contínua e disciplinada proporcionará muitos benefícios.


Até a próxima!


Créditos da imagemSira Anamwong Free Digital Photos


sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Para pensar #23



"Não espere ficar sozinho para reconhecer o valor de quem está ao seu lado.

Não espere ficar de luto para reconhecer quem é importante para você."

(autor desconhecido)





terça-feira, 17 de outubro de 2017

Como utilizar o fio dental sem machucar os dedos


Hoje eu gostaria de compartilhar uma dica muito útil que encontrei há alguns anos.

Durante toda a minha vida eu enrolei o fio dental nos dedos para utilizá-lo e com isso machucava as pontas dos dedos, deixando-as vermelhas e doloridas.

Então encontrei essa dica sensacional: amarre as 2 pontas do fio, de forma a torná-lo fechado. Dê vários nós, pois eles acabam se desfazendo já que o fio é geralmente liso.

Pronto!

Agora é só colocar seus dedos indicadores dentro do círculo e deslizar o fio dental como de costume. 

Dedos doloridos ou vermelhos nunca mais!



Imagem-mostrando-como-utilizar-o-fio-dental


Fonte da imagem: https://skinvac.blogspot.com.br/2014/01/how-to-floss-your-teeth-the-easy-way-for-people-who-hate-flossing.html


terça-feira, 10 de outubro de 2017

Você tem tempo para você?


Vivemos na sociedade da pressa e quase sempre agimos de forma automática.

Quanto mais rápido e automático, melhor!  Será mesmo?

Quantas vezes realmente prestamos atenção no que estamos fazendo, sem deixar que a automatização excessiva nos torne, de certa forma, parecidos com robôs?


Dado-mostrando-as-faces-passado-presente-e-futuro

Quantos minutos por dia você realmente está presente no momento presente?

A automatização é necessária e importante, mas não de forma exagerada. Com ela, há menor consumo de energia cerebral, pois as sinapses já prontas e muito utilizadas conseguem uma considerável economia de energia. Por exemplo, quando você começou a dirigir, a tocar um instrumento musical, a cozinhar ou andar de bicicleta, prestava muita atenção em todos os detalhes, mas com o tempo, as ações tornaram-se naturais. Tudo o que fazemos com certa frequência torna-se automático.

O problema é que estamos exagerando na automatização, dando muito pouco espaço para vivermos de verdade esses momentos. Parece até que pensamos demais e vivemos de menos. 
Oscilamos entre o passado e o futuro, mas quando realmente vivemos o presente?

Por isso, hoje eu gostaria de sugerir que você reserve um tempo para você mesmo, para qualquer atividade na qual possa estar plenamente presente. Pode ser uma meditação, um banho relaxante, uma música, a leitura de um livro, uma caminhada, etc. Desde que seja algo que te agrade, praticando de maneira constante você acabará tendo consciência e percepção de você mesmo e até gostando de sua própria companhia, o que resultará em melhor autoconhecimento, mais confiança, equilíbrio, domínio próprio e contentamento.


Moca-praticando-Yoga-na-praia-ao-por-do-sol

O mundo está tão barulhento e dinâmico, que nada melhor do que dedicar um tempo só para você, para reequilibrar-se e recarregar as energias. 

Sua saúde agradece!


Créditos das imagens: Stuart Miles e ponsuwan Free Digital Photos

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Aceitação


Todos temos uma certa dificuldade em aceitar as pessoas como elas são, principalmente seus defeitos e manias. Ao mesmo tempo, quando nos conhecemos um pouco melhor, alguns de nossos defeitos e manias tornam-se incômodos a nós mesmos, mas para aqueles que não achamos tão graves ou disfuncionais, recorremos às justificativas, tentando racionalizar através de diálogos internos ou com outras pessoas, os motivos de sermos ou agirmos de uma determinada maneira, que muitas vezes não é agradável àqueles que convivem conosco.

Veja a incoerência: um defeito (ou mania) em mim é tolerável, mas o mesmo defeito em outra pessoa é irritante, desagradável ou até insuportável. De certa maneira, nos falta empatia para aceitarmos as pessoas como elas são.

Ninguém muda ninguém. Uma pessoa só mudará a si mesma se em primeiro lugar ela realmente quiser.

Olhando de fora, parece tão fácil mudar os outros ou resolver seus problemas! Ao mesmo tempo, as mesmas questões em nossa vida não parecem tão fáceis e rápidas de serem resolvidas.

Porque subestimamos a dificuldade do outro enquanto aumentamos (ou até exageramos) a nossa?
Por que minimizamos nossos defeitos e manias enquanto maximizamos os de outras pessoas?

Talvez o mundo funcionasse um pouco melhor se aceitássemos as pessoas como elas realmente são. Claro que dicas para crescimento e desenvolvimento são adequadas e úteis, desde que como sugestão e não como imposição.
O que é óbvio para mim, muitas vezes não é para você, e vice-versa.


Finalizo com uma breve reflexão de Max Lucado sobre o assunto.

"O conflito é inevitável, mas o combate é opcional."

Algum tempo atrás, minha mulher comprou um macaco. Eu não queria um macaco em minha casa, por isso me opus.
- Onde ele vai comer?-perguntei.
- Em nossa mesa.
- Onde ele vai dormir? -inquiri.
- Em nossa cama.
- E quanto ao mau cheiro? _ eu quis saber.
- Eu me acostumei com o seu; acho que o macaco também vai se acostumar.

A harmonia não começa quando examinamos os outros, mas quando examinamos a nós mesmos.
A harmonia não começa quando exigimos que os outros mudem, mas quando admitimos que não somos tão perfeitos assim...


Pedras-equilibradas-em-cima-de-outra-pedra

A respostas às contendas? Aceitação.
O primeiro passo para a harmonia? Aceitação.
Não concordância, mas aceitação.
Não unanimidade,mas aceitação.
Não negociação, arbitrariedade ou aperfeiçoamento.
Tudo isso pode vir depois, mas somente depois do primeiro passo: aceitação.


Trecho de "Na jornada com Cristo" - Max Lucado

Créditos da imagem: Stuart Miles - Free Digital Photos

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Claramente


Nossa vida é basicamente pautada por 3 aspectos:

1) Cognição - o que pensamos.
2) Afeição - nossas emoções.
3) Volição - a ação tomada após vivenciarmos os aspectos anteriores (separados ou em conjunto).

Quantas vezes nos deixamos dominar pelas emoções?
Quantas vezes conseguimos agir racionalmente, de forma coerente e que nos proporcione satisfação?
Frase-Conhece-te-a-ti-mesmo
Domínio próprio - expressão tão conhecida, mas que poucos conseguem colocar em prática de maneira eficaz na maior parte do tempo, principalmente nos relacionamentos mais íntimos.

Fiz essa breve introdução com temas abordados no programa Claramente para apresentar-lhes essa série que estreou em abril desse ano e que está disponível na TV Novo Tempo e no You Tube.

Nos primeiros capítulos, o psiquiatra Dr. César Vasconcellos fala sobre o funcionamento da mente. Após isso, aborda alguns conceitos, transtornos e doenças mentais como ansiedade, depressão, neurose, transtorno obsessivo-compulsivo e inteligência emocional.

Um dos aspectos que mais gostei é a abordagem conjunta entre corpo, mente e espírito, mostrando o quanto um influencia o outro. É o primeiro programa do gênero que assisti, que leva em conta também o lado espiritual - de forma branda, já que o objetivo é a saúde mental.

Cada capítulo possui aproximadamente 25 minutos. Abaixo está o primeiro capítulo. Os próximos outros você encontra aqui.

 

Tenho aprendido muitas coisas novas, interessantes e úteis nesse programa. Espero que também sejam úteis à vocês.


Até a próxima!

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Porque eu também abri uma conta no Banco Inter


Seguindo o post do André Azevedo (Viagem Lenta), eu também gostaria de compartilhar minhas impressões sobre o Banco Inter, no qual abri uma conta esse ano.


Planilhas-graficos-e-caneta


A abertura foi muito simples, rápida e sem complicações, tudo feito através do aplicativo do banco.
Pouco tempo depois, recebi o cartão de débito (que segundo informações no site, também pode possui a função crédito sem cobrança de anuidade). Há três tipos de cartões: Standard (para investimentos de até R$ 50k), Platinum (de 50 a 250K) e Black (acima de 250K).
Por ser uma conta digital, as TEDs são gratuitas. Há também opções de investimentos em fundos, Tesouro Direto e títulos de renda fixa (LCI, LCA e CDB).
Para o TD, a taxa de administração é zero. Por enquanto, o Banco Inter não é um agente integrado (investimento direto no TD pelo site da corretora/banco), mas espero que seja futuramente.

Para mim, o destaque é a possibilidade de efetuar transferências por boleto (limitados a 10 boletos mensais gratuitos), pois a conta corrente que tenho em outro banco é a conta de serviços essenciais, que não contempla TEDs gratuitas. A emissão do boleto é muito simples e em 2 ou 3 dias após o pagamento, o valor estipulado está disponível na conta corrente do Banco Inter.

Todas as vezes que necessitei de atendimento para solicitações ou esclarecimentos de dúvidas, fui atendida rapidamente e de forma satisfatória. Além disso, a partir desse mês (09/2017) é enviado um e-mail ao correntista informando quando um título venceu. Apesar dos controles pessoais, é um bom lembrete para o caso de esquecimentos ocasionais.

Estou gostando do Banco Inter, pois ele atende bem minhas necessidades, sem as altas taxas e tarifas cobradas pelos grandes bancos de varejo.

O Banco Inter tem adotado uma estratégia de marketing relevante para conseguir conquistar cada vez mais clientes. Até o ano passado eu só o conhecia por disponibilizar títulos de renda fixa em corretoras de valores. Jamais passou pela minha cabeça a ideia de abrir uma conta, até começar a ver banners, reportagens, posts e anúncios sobre o banco, cada vez com mais frequência.

Gostei da mudança recente do nome (de Intermedium para Inter) e do logotipo, pois ambos passam uma imagem mais simples, agradável, moderna e descomplicada.

Para saber mais, acesse os sites:
Banco Inter: https://bancointer.com.br/
Banco Data – https://bancodata.com.br/ - Esse site disponibiliza os resultados de todas as instituições financeiras do Brasil. Como curiosidade, compare os resultados do Banco Inter (ou de outros bancos menores) com os de grandes bancos de varejo. Ao ver o lucro líquido que conseguiram nos últimos anos, você vai entender melhor porque os maiores cobram taxas e tarifas tão altas.


Até a próxima!


Créditos da imagem: cooldesign - Free Digital Photos

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Reza a lenda – D'naipes


A sociedade passou por tantas profundas e significativas mudanças nas últimas décadas, que para quem é criança hoje, talvez seja difícil imaginar que um dia, em um passado não muito distante, haviam crianças com a sua idade que brincavam em grupo na rua e que haviam cartas de papel escritas à mão, que demoravam dias para chegar ao destinatário.


Desenho-de-criancas-felizes-e-flores


A letra nos remete também ao futuro, sonhos e objetivos quando diz:
“Todo dia é dia pra lembrar que temos tanto a fazer
Seja a diferença tudo pode estar com você.”

E encerra falando sobre a frieza da atualidade:
“Reza a lenda que ouvi de um sonhador
Que o presente está carente de amor.”

Essa música apresenta uma combinação muito agradável entre melodia, poesia, arranjos e efeitos.
Vale a pena ouvir!



Reza a lenda – D'naipes


Créditos da imagem: Stuart Miles - Free Digital Photos



quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Mudanças no blog


Botao-Time-to-changeHoje eu gostaria de falar um pouco sobre as mudanças que estou implementando no Simplicidade e Harmonia.

Como vocês perceberam, há algum tempo mudei o fundo azul escuro para branco, pois pesquisei sobre o assunto acredito que dessa forma a leitura será mais agradável, lembrando de certa forma a leitura de um livro.

Em todos os posts coloquei uma imagem, o que farei também com as novas postagens, para deixar o visual do blog e a leitura mais agradáveis. Algumas imagens são de minha autoria, mas a maior parte são de bancos de imagens (sempre identificados em cada post).

Os links para as redes sociais ganharam destaques específicos para melhor visualização, pois acredito que o texto corrido os deixava meio “apagados” no blog.

Por enquanto, basicamente essas são as mudanças. Tenho outras em mente, mas ainda estou estudando a melhor maneira de implementá-las.


Gostaria muito de saber sua opinião.
Gostou?
Não gostou?
Sugestões para melhorias serão sempre bem-vindas a qualquer momento.


Até a próxima!



Créditos da imagem: Stuart Miles - Free Digital Photos

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Respostas incríveis à oração (Roger Morneau) – Resenha



Fiz questão de colocar as fotos da capa e da contracapa na resenha desse livro de 128 páginas e 9 capítulos publicado pela Casa Publicadora Brasileira (edição de 2003) para melhor ideia do assunto abordado.



Capa-do-livroContracapa-do-livro

(clique nas imagens para ampliá-las)


Os casos relatados são principalmente da época em que o autor trabalhava com vendas de anúncios de listas telefônicas de páginas amarelas entre as décadas de 1970 e 1980. Embora as regras corporativas proibissem a abordagem do tema religião com colegas de trabalho e clientes, Roger Morneau ouvia os relatos de problemas de alguns deles e dizia que oraria por eles sobre a questão relatada. Então, grandes mudanças aconteciam.

“A oração transforma as coisas” – frase curta, simples, clara e direta, pronunciada por uma das pessoas pelas quais o autor intercedeu. Questões familiares, profissionais, de saúde e vícios – todas tornaram-se objetos de intercessões bem-sucedidas.

Respostas às orações pessoais também são relatadas. Em um desses acontecimentos o auto diz:
“Nada prepara melhor uma pessoa para a oração sincera, de coração, como a ameaça de morte”.
 


Uma das partes mais práticas do livro refere-se aos 9 fatores que o autor acredita serem essenciais para uma vida cristã bem-sucedida.

1) Divino amor compassivo: é o amor sem limites pelas outras pessoas. Um tipo de amor que emana diretamente do trono de Deus.

2) Felicidade celeste: embora Satanás nos faça crer que podemos encontrar felicidade através da satisfação própria, cada vez mais a humanidade tem percebido que é melhor dar do que receber. (VERSÌCULO) Precisamos primeiro aprender a servir, para só então sermos servidos.

3) Paz celestial: a paz que proporciona um descanso agradável, através de um estado mental ou espiritual libertador de nossos próprios medos perturbadores.

4) Paciência

5) Gentileza

6) Bondade

7) Humildade
Sobre esses 4 fatores não há muito o que dizer, pois todos sabemos a importância de cada um deles em nossas vidas.

8) Fé viva: fator essencial, pois sem ele não há crescimento espiritual.

9) Domínio próprio: atualmente, quem consegue governar a si próprio em todos, ou pelo menos na maioria dos aspectos da vida de forma realmente eficaz? A dica do autor nessa questão é memorizar versículos bíblicos, pois dessa forma, em momentos ruins conseguiremos ter mais controle sobre nossos pensamentos. Falhar nesse controle pode ser desastroso, além da possibilidade de ocasionar consequências irreversíveis.




O autor finaliza com o capítulo “Cada problema é um convite à oração”. Se soubermos utilizar a oração com sabedoria, não pensando apenas em benefício próprio, poderemos obter bons resultados.

Aqui, faço uma ressalva: orar é apenas uma parte do processo. É também preciso agir.

Oração sem ação é vazia, ineficaz e sem resultados consistentes e duradouros – exceto em raros casos.


Conclusão
É um livro destinado àqueles que acreditam no poder da oração pessoal e intercessória. Proporciona ânimo, esperança, tranquilidade e reflexões sobre o assunto.


Recomendo!